sábado, 5 de maio de 2007

A velhice

Olha estas velhas árvores, mais belas
Do que as árvores moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas...

O homem, a fera e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres da fome e de fadigas:
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.

Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo. Envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,

Na glória de alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!

(Olavo Bilac)

2 comentários:

  1. Aline,

    Olavo Bilac continua a nos dar belas lições de vida. Linda poesia essa, adorei.
    Beijo,

    Conceição

    ResponderExcluir
  2. Verônica Aroucha22 de maio de 2007 20:29

    Aline querida, o que mais vejo e admiro em você é essa forma de branca simplicidade, tentando esconder sua escada luminosa só para não ofuscar o brilho da sua eterna procura.
    Seu blog tá lindo e perfeito e nos dá um gosto de ser parte.
    Beijo e abraço grande.
    Verônica

    ResponderExcluir